O Menino da Porteira

NÃO TEM QUEM NÃO PARA

Em Ouro Fino, um monumento gigantesco no trevo principal de acesso à cidade, não dá outra.

Todo mundo para!…

of 2Imagem: Tiago Ozano (Mega Photo)

Na superestrutura esculpida em concreto, com dez metros de altura, feita pelo escultor cearense Genésio Gomes Moura, está o sorridente menino acenando a todos que passam pelo local. A escultura ficou tão famosa que as pessoas passaram a referenciar Ouro Fino como “A terra do Menino da Porteira”.

O estrondoso sucesso da música “O Menino da Porteira” foi o grande marco, para consolidar o potencial turístico da cidade. A canção foi regravada por Sérgio Reis no início dos anos 70 e se transformou num dos maiores clássicos da música sertaneja raiz.

O cantor esteve presente na inauguração do monumento, em 24 de março de 2001, e recebeu justa homenagem pelo sucesso da música e por tudo que ela passou a representar para a cidade. Chegou montado a cavalo, numa tropa com o prefeito (na época) Baratão, com muitos cavaleiros. Bastante emocionado cantou com Limeira e tocou berrante. Também foram homenageados:  o Limeira, o Tedinho  (filho de Teddy Vieira)  e  a filha do Luizinho. – Junto à porteira foi colocada uma placa de bronze, onde está imortalizada a mão direita do cantor e seu autógrafo no concreto.

A VERDADEIRA HISTÓRIA DA MÚSICA E SUA REAL LIGAÇÃO COM A CIDADE – Já se falava muito sobre Ouro Fino e o menino da porteira, mas foi após a inauguração do monumento com a figura do menino à beira da estrada, que a cidade foi transformada em celebridade nacional.

Foi uma grande jogada de marketing dos idealizadores da obra.

O monumento causa impacto e curiosidade nas pessoas que passam por aquele local, onde diariamente é registrada uma imensa quantidade de material fotográfico e vídeos que são mostrados em todo o Brasil e no exterior, através de amostras pessoais, jornais, revistas e, principalmente, internet. Sem dúvida, a construção do monumento foi um passo importante para o desenvolvimento turístico do município. Um verdadeiro cartão de visita.

EU E A CIDADE – Minha família radicou-se em Ouro Fino em 1960. No início dos anos 70 saí para trabalhar e estudar fora, justamente quando a canção alcançou o primeiro lugar nas paradas de sucesso de todo o país. A partir de então, tornou-se comum as pessoas perguntarem sobre a real ligação da música com a história da cidade, e se sua origem está realmente fundamentada em suas raízes. Muitas pessoas até questionam, que a verdadeira história do menino pertence a Ouro Fino de Goiás.

Então é preciso explicar:

Quando Teddy Vieira namorava América Rizzo, que residia em Andradas, com quem se casaria depois, costumava se encontrar em Ouro Fino com seu amigo e parceiro Palmeira (da dupla Palmeira & Biá). E familiares e amigos mais próximos de Teddy Vieira, Luizinho e Palmeira (que foi de muita importância para os ourofinenses, e continua sendo, tanto que na cidade tem uma rua com seu nome verdadeiro: Rua Diogo Mulero), confirmaram a verdadeira origem da obra, que teve sua primeira gravação em 1955 com Luizinho & Limeira e em seguida Tonico & Tinoco, em 1956.

Eu mesmo, quando garoto, presenciei muitas vezes meu pai conversando com o Palmeira, que possuía uma propriedade num bairro da zona rual de Ouro Fino. Naquela época, década de 60, era comum os agricultores levarem grãos de arroz em casca para serem beneficiados nas beneficiadoras da região, e meu pai era proprietário de uma delas. Com isso eu acabava escutando muito desses relatos sobre música sertaneja raiz.

Lembro-me de algumas coisas que eles conversavam, das evidências de que a melodia fora inspirada num dos encontros de Teddy Vieira com o Palmeira, na cidade de Ouro Fino. Assim, como os primeiros versos da canção, dando a entender que Luizinho terminara a música mais tarde, num hotel na avenida da Liberdade, no bairro da Liberdade em São Paulo.

A história da música não é real, porém Teddy Vieira dispunha de uma inspiração e sensibilidade acima da média. Era um grande observador do universo rural e transformava em belas e importantes canções, seu cenário imaginário de coisas simples do sertão.

O menino da porteira representa o imaginário da criança do interior. Além de ter sido tema de música, foi tema de filme. A primeira história, que teve como papel principal o próprio Sergio Reis, e a segunda, com o cantor Daniel, ambas com sucesso total de bilheteria.

——————————————————————————————————————————————-

“O Menino da Porteira”

Autores: Teddy Vieira & Luizinho

 

Toda vez que eu viajava pela Estrada de Ouro Fino

De longe eu avistava a figura de um menino

Que corria abrir a porteira e depois vinha me pedindo

Toque o berrante seu moço que é pra eu ficar ouvindo

Quando a boiada passava e a poeira ia baixando

Eu jogava uma moeda e ele saía pulando

Obrigado boiadeiro, que Deus vá lhe acompanhando

Pra aquele sertão a fora meu berrante ia tocando

 

Nos caminhos desta vida muito espinho eu encontrei

Mas nenhum calou mais fundo do que isso que eu passei

Na minha viagem de volta qualquer coisa eu cismei

Vendo a porteira fechada o menino não avistei

 

Apeei do meu cavalo e no ranchinho a beira chão

Vi uma mulher chorando, quis saber qual a razão

Boiadeiro veio tarde, veja a cruz no estradão!

Quem matou o meu filhinho foi um boi sem coração!

 

Lá pras bandas de Ouro Fino levando gado selvagem

Quando passo na porteira até vejo a sua imagem

O seu rangido tão triste mais parece uma mensagem

Daquele rosto trigueiro desejando-me boa viagem

 

A cruzinha do estradão do pensamento não sai

Eu já fiz um juramento que não esqueço jamais

Nem que o meu gado estoure, e eu precise ir atrás

Neste pedaço de chão berrante eu não toco mais.

6 Comentários

  1. José Lopes de Camargo

    Pelo que eu sei a letra da música o Teddy Vieira escreveu com com fatos acontecidos em Buri S.P.Tem uma entrevista do SR.Carmo Lourenço Gomes de Campina do Monte Alegre cidade vizinha de Buri falando sobre isso,ele foi colega do Teddy!

  2. Edna Rodrigues dos Santos

    Nossa !!! Me emocionei…triste e lindo

  3. --JORGE HADAD

    –INTERESANTE-FOI FANTASTICO VER ISTO- FOI ESCLARECEDOR–

    –TENHO 65 .A.-E ATE HOGE NAO TINHA LIDO ALGO ASSIM SOBRE ESTA LENDA.

    — OBRIGADO AO ESCRITOR DESTES TESTOS,

    — JORGE HADAD—

  4. Kathia

    Você é descendente, ou conhece os descendentes dos compositores? Estou em busca deles para uma matéria sobre a música!Grata!

  5. sergio

    Legal o post

  6. Ouro Fino…a terra do menino da porteira!